Secretaria Municipal de Saúde de Teixeira de Freitas confirma primeiro caso da nova varíola dos macacos no município

A Secretaria Municipal de Saúde de Teixeira de Freitas, através do Departamento de Vigilância Epidemiológica, informou neste sábado, 27 de agosto, sobre a notificação do primeiro caso confirmado da nova varíola dos macacos (Monkeypox) no município. Trata -se de uma pessoa que se encontra clinicamente bem e já permanecia em isolamento domiciliar, sendo monitorada por equipes de saúde, sendo adotadas as medidas de barreira e monitoramento de contatos.
Importante ressaltar que não existem vacinas e tratamentos específicos para a Monkeypox. Por isso, a prevenção e a identificação precoce são as ações mais recomendadas no momento. Confira aqui as medidas preventivas recomendadas pela Secretaria de Saúde.

Orientações de prevenção

A Prefeitura de Teixeira de Freitas estabeleceu uma série de orientações aos teixeirenses para o combate e prevenção da doença. Feridas em forma de pequenas bolhas com água ou pus na pele (mãos, pés, do cotovelo para baixo, joelho para baixo, peito) boca, região genital e próximas ao ânus são os sintomas mais comuns da varíola.
Febre e ínguas no pescoço e nas axilas também são indicativos que precisam de atenção. Esses sintomas podem durar de 2 a 4 semanas, podendo ser divididos em dois momentos:

0 a 5 dias após contaminação: febre, dor de cabeça, dor no corpo, ínguas no pescoço e axilas e também sensação de cansaço ;
1 a 5 dias após contaminação: surgimento das feridas depois da febre, ínguas e manchas vermelhas na pele.
O contágio pode ocorrer ao ficar muito tempo perto de pessoas com sintomas ou doentes; contato físico direto (principalmente com feridas desprotegidas); ter relações sexuais com pessoas sintomáticas ou desconhecidas, mesmo com preservativo; e ao dividir objetos pessoais como roupas, copos e outros utensílios. A nova varíola não se trata de uma infecção sexualmente transmissível, mas o contato sexual e com fluidos corporais transmitem a doença.

Portanto, é essencial que a máscara seja utilizada perto de pessoas doentes ou com sintomas. O distanciamento social mínimo de 2 metros também é um método preventivo que ajuda a combater a varíola.
Com o surgimento de sintomas, é necessário que as feridas da pele sejam protegidas e seja feito o isolamento da pessoa doente ou sintomática. Procurar imediatamente a unidade de saúde mais próxima de casa para recomendações mais detalhadas dos profissionais de saúde é fundamental.

Repórter: Cloves Neto

Fonte: Ascom/PMTF



Quer saber tudo
o que está acontecendo?

Receba todas as notícias do NetinhoNews no seu WhatsApp.

Entre em nosso grupo e fique bem informado.

ENTRAR NO GRUPO
Publicado em 27 de agosto de 2022



Comentários